quinta-feira, 11 de julho de 2013

Medicina e Saúde Pública - Cuba, África do Sul, Venezuela, Brasil

COMPASSO
O projeto para a vinda de médicos cubanos ao Brasil já tinha sido colocado em banho-maria, ainda no segundo mandato de Lula. Em viagem a Cuba, o então presidente chegou a se empolgar com a ideia. Mas a informação de que, dos US$ 4.000 pagos por profissional ao governo da ilha, só US$ 40 ficam com os doutores, fez com que ele desistisse de firmar convênio.

PEDIDO ESPECIAL
Na época, Lula foi informado de que só um país conseguiu contornar as regras cubanas: a África do Sul de Nelson Mandela, que pediu que o pagamento fosse feito diretamente aos médicos.

O DOUTOR SUMIU
E o então presidente Hugo Chávez fez há uma década, na Venezuela, o que o governo brasileiro agora anuncia: abriu vagas para médicos venezuelanos trabalharem em regiões carentes do país. Cerca de 50 apareceram. Ele então firmou o convênio com Cuba, que enviou ao país 20 mil profissionais.

Trecho de coluna da Mônica Bérgamo, na Folha de São Paulo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário